ÚLTIMAS

REGIÃO | Bloco quer impor limites ao crescimento do turismo para proteger os residentes e a sustentabilidade do destino Açores

497views

Perante o crescimento rápido e desordenado do turismo nos Açores nos últimos anos, o Bloco de Esquerda defende que é necessário impor limites ao número de camas por ilha, concelho ou freguesia – incluindo o Alojamento Local – e definir capacidades máximas de carga nos pontos turísticos mais procurados. Estas medidas vão melhorar o acesso à habitação, combater a sazonalidade do turismo, e combater a precariedade que atinge os trabalhadores do sector.

“O turismo é uma atividade muito importante nos Açores, mas tem que beneficiar a população que cá vivem”, disse António Lima, hoje na apresentação da proposta, após uma reunião com a Associação de Guias de Informação Turística dos Açores.

O deputado do Bloco salientou que “o turismo tem aspetos muito positivos, ao nível da criação de emprego e da dinamização do território, mas tem também consequências negativas que é preciso evitar a todo o custo, e isso só se faz com a regulação do sector”.

Por isso o Bloco vai levar ao parlamento uma iniciativa legislativa que pretende dar indicações ao governo para que, na revisão do Plano de Ordenamento Turístico dos Açores (POTRAA) sejam incluídos “aspetos regulatórios que sejam para cumprir e não apenas para orientar”, como tem defendido o governo.

Em primeiro lugar, a proposta defende a definição de um limite de camas por ilha, concelho ou freguesia, incluindo o Alojamento Local, que neste momento pode crescer indefinidamente, o que está a contribuir para o aumento da dificuldade de acesso a habitação.

O facto de o Alojamento Local não ter limites leva a um crescimento enorme, fazendo com que o preço da habitação também aumente e a disponibilidade diminua.

“A definição de limites vai levar a uma maior distribuição dos turistas no tempo e no território”, explica António Lima. Isto vai contribuir para combater a sazonalidade – o que, consequentemente, protege o emprego.

Assinalando que “a precariedade é um problema gravíssimo no setor do turismo”, António Lima explica que combater a sazonalidade vai fazer com que “o emprego se mantenha ao longo do ano”.

Outro aspeto que o próximo POTRAA tem que definir é a capacidade de carga nos pontos turísticos mais procurados.

“Temos concentrações em vários pontos turísticos – e em São Miguel isso é evidente – que são absurdas e já ultrapassaram todos os limites”, disse o deputado do Bloco, que acrescentou que “é preciso impor limites de carga para estes locais, por forma a distribuir os turistas por mais pontos de interesse, levando os benefícios do turismo a estes locais”.

“Não podemos transformar cada ponto de interesse turístico num parque de estacionamento, porque estaremos a estragar o que temos de melhor”, disse António Lima.

A proposta do Bloco vai também propor uma aposta nos transportes públicos, por forma a reduzir a circulação de viaturas de aluguer.

BE/AÇORES/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.