DIÁSPORAOPINIÃO

OPINIÃO | Por terras da Califórnia: Faleceu Manuel da Loka, pioneiro da Tauromaquia

458views

Manuel Cardoso Correia, de todos conhecidos por Manuel da Loka, faleceu na cidade de Tulare, irmã de Angra, no dia 14 de abril de 2024, depois de alguns dias de internamento em hospital local. Estando eu em Tulare, participei no Rosário, no dia 23 de abril, às 6 horas da tarde, na Igreja Católica de St. Aloysius. A Igreja estava quase cheia e, para além de familiares e amigos, teve a presença da Filarmónica do Chino, de que foi fundador. O funeral realizou-se no dia seguinte, pelas 10h30m, para o Cemitério Público de Norte de Tulare. Deixa de luto a sua esposa Genevieve e os filhos Manuel, Frank, Joe e Adelaide, para além dos cônjuges destes, netos e bisnetos.

A alcunha da Loka, ou apelido como chamam os terceirenses, advém do facto de Manuel ter sido proprietário de um talho no sul da Califórnia. Nos anos sessenta, do século XX, na Califórnia, era comum as pessoas alugarem parte de um frigorífico num talho para arrumarem a carne dos animais que abatiam para o seu consumo. Os talhos estavam preparados com grandes frigoríficos montados com gavetas individualizadas e fechadas à chave, que eram alugadas a quem solicitava. O arrendatário recebia uma chave para ter acesso à sua gaveta, quando pretendesse ir buscar carne. A palavra em inglês Loker traduzida para o português quer dizer Gaveta com fechadura, daqui Manuel Correia ser conhecido por Manuel da Loka.

Manuel Cardoso Correia nasceu na freguesia dos Altares, concelho de Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores, no dia 30 de outubro de 1939. É filho de José Coelho Correia e de Maria Cardoso. Manuel foi criado na casa onde nasceu, Às Presas.

Em 1959 Manuel emigrou para o Brasil e no dia 10 de junho de 1960 chegou ao país dos seus sonhos – a América. Estabeleceu morada no sul da Califórnia, em Ontário, perto da cidade do Chino. Mais tarde morou em Artesia, cidade também ali próxima. Mira Loma foi onde viveu mais tempo, até se mudar para a cidade de Madera, no Vale de São Joaquim. Daqui mudou-se para Tulare, onde acabou os seus dias.

Foi ainda no sul da Califórnia, por volta de 1965, que comprou um terreno onde teve o primeiro gado bravo. Em 1988 comprou um terreno, com cerca de mil alqueires, em Madera, Vale de São Joaquim, onde instalou a ganadaria, a praça desmontável e a sua moradia. Em 2014, vendeu a propriedade em Madera e comprou 130 apartamentos, desfrutando do seu rendimento.

Manuel da Loka foi um dos principais pioneiros da tauromaquia na Califórnia, no início dos anos 70, do século XX. O gosto pelas nossas tradições terceirenses causaram-lhe grandes dissabores, nomeadamente de ordem judicial, mas nunca desistiu. 

Na ilha Terceira, na sua freguesia natal dos Altares, construiu uma moradia na Canada do Pelame, onde passava, com sua esposa, uma grande parte do verão, acompanhando as festas e touradas ao redor da ilha. Era conhecido pelo seu chapéu típico, que permanecia sobre a sua urna na Igreja de Tulare. Tinha planos para voltar em 2024.

O livro biográfico “Manuel da Loka – Um Ganadero na Califórnia”, de minha autoria, foi escrito, publicado e lançado, nos Altares e Tulare, em 2017 e está esgotado.

Liduino Borba, Casa da Terra Alta, São Mateus, 15 de maio de 2024.

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.