ÚLTIMAS

ATUALIDADE | “Uma maioria absoluta da coligação de direita significaria um abandono absoluto da Cultura nos Açores”

208views

“Uma maioria absoluta da coligação de direita significaria um abandono absoluto da Cultura nos Açores”, disse hoje António Lima, numa visita ao Cineteatro Miramar, em Rabo de Peixe, um espaço cultural que o governo tinha a intenção de privatizar e que a luta da comunidade e dos agentes culturais, mas também uma proposta do Bloco, conseguiu travar.

Em março do ano passado, quando se soube que havia a intenção de a Região vender o edifício do Cineteatro Miramar, o Bloco de Esquerda levou ao parlamento uma proposta, com urgência, não só para travar este processo de venda, mas também para recomendar ao governo uma maior dinamização cultural daquele espaço.

O Cineteatro Miramar tem um auditório com capacidade para 120 pessoas, com condições para acolher diversos espetáculos de palco e a projeção de filmes, e no mesmo edifício existe também uma biblioteca e ludoteca, e é também este espaço que acolhe a Escola de Música de Rabo de Peixe.

A visita simbólica, não só para recordar a luta da comunidade na defesa da manutenção daquele espaço na esfera pública, mas também como um exemplo do abandono da Cultura por parte do governo de coligação de direita liderado do José Manuel Bolieiro.

“A intenção de vender este teatro é um sinal disso. Um espaço com esta importância para a comunidade de Rabo de Peixe seria vendido, e esta comunidade ficaria mais pobre sem esta infraestrutura e a vida que ela gera”, disse António Lima.

O coordenador do Bloco de Esquerda lamentou os “cortes brutais no apoio à Cultura” que este governo aplicou, e lembrou que “os agentes culturais estão há praticamente um ano sem resposta em relação dos apoios que lhes foram prometidos, o que é mais um sinal do abandono da cultura por parte do governo da coligação de direita”.

O Bloco defende que tem que haver um “orçamento decente para a cultura e políticas de apoio à produção cultural que tenham uma perspetiva de médio prazo, que sejam desburocratizadas e que tenham estabilidade”.

“A cultura está de rastos nos Açores porque José Manuel Bolieiro e o seu governo a deixaram assim”, frisou António Lima.

Questionado pelos jornalistas sobre o dia a seguir às eleições, o candidato do Bloco voltou a garantir que o Bloco nunca apoiará um governo de direita.

António Lima lembra que o Bloco nunca negou o diálogo com o PS, nem mesmo quando o PS estava no governo com maioria absoluta, mas salienta que “esta é a altura de apresentar as propostas e fazer com que elas tenham mais força” e que o Bloco nunca falha nas medidas para responder aos problemas das pessoas.

No dia a seguir às eleições “é que se medirá a força que cada partido terá na próxima legislatura”, adiantou o coordenador do Bloco nos Açores.

BE/AÇORES/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.