ÚLTIMAS

AÇORES | Desmantelada rede pela PJ que operava entre Lisboa e a Ilha Terceira

741views

A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal dos Açores, em estreita articulação com a Diretoria do Norte, localizou e deteve o líder de uma rede que abastecia, há vários anos, a Ilha Terceira com substâncias estupefacientes, com destaque para o haxixe e a cocaína.

O detido, com 44 anos de idade, foi encontrado na posse de 1.125 doses médias individuais diárias de cocaína, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva pelas autoridades judiciárias na Secção de Praia da Vitória, do DIAP da Comarca dos Açores.

A desarticulação desta rede começou em maio de 2022, na Ilha Terceira, com a detenção de um homem com 21 anos e uma mulher com 26 anos de idade, pela posse de 14 quilos de haxixe e 1,5 quilos cocaína – o que equivale a, aproximadamente, 28.000 e 7.500 doses médias individuais diárias, respetivamente – que transportaram de Lisboa para a referida Ilha, por via aérea.

Através das diligências subsequentes de investigação, foi possível reunir indícios contra outros suspeitos, os quais, em novembro de 2022, foram visados numa operação policial desenvolvida na área da grande Lisboa, com o cumprimento de dez mandados de busca e detenção de um indivíduo de 28 anos, encontrado com meio quilo de cocaína e perto de um quilo de haxixe, num total de 4.474 doses diárias médias individuais.

Posteriormente, em fevereiro deste ano, foi detido na Ilha Terceira outro homem, com 37 anos, por pertencer à mesma rede.

Aos detidos foi aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Nesta investigação, para além das substâncias estupefacientes, foram ainda apreendidas duas pistolas, com calibres de 9 e 6,35 mm, bem como quatro veículos de alta cilindrada.

GABIC/PJ/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.