AGENDA

SÃO JORGE | Encontros Sonoros Atlânticos: 3.ª edição com seis concertos únicos e estreia de documentário sobre Francisco de Lacerda 

717views

Em Setembro, os Encontros Sonoros Atlânticos Francisco de Lacerda iniciam a sua terceira viagem entre Portugal Continental e os Açores com seis concertos únicos e as estreias da obra vencedora do Prémio Compositor Francisco de Lacerda Fundação Millennium bcp e de um documentário sobre a vida e obra deste músico de renome internacional.

Com programação pelo compositor Vasco Mendonça e promovido pela Associação Francisco de Lacerda – a Música e o Mundo, o mapa desta terceira edição constrói-se de forma circular, entre 16 e 30 de Setembro, com início em Lisboa, a que se seguem espectáculos em São Jorge, Terceira, São Miguel e término em Lisboa.

O concerto que encerra a edição de 2023 estreia a obra vencedora da segunda edição do Prémio Compositor Francisco de Lacerda Fundação Millennium bcp, o maior galardão nacional destinado a composição para orquestra e que pretende fomentar a criação musical em Portugal. O anúncio da composição vencedora é feito a 12 de Setembro. 

No programa dos Encontros Sonoros Atlânticos 2023 destaca-se também a exibição, em estreia, do documentário ‘Francisco de Lacerda Ou a Fragueira ou Paris’ realizado por Luís Porto, sobre a vida e obra deste importante compositor e maestro português, natural de São Jorge. O ciclo Encontros Sonoros Atlânticos constitui-se como uma série de recitais em que obra do compositor, musicólogo e maestro açoriano Francisco de Lacerda (1869 – 1934) é o estímulo para a criação de novas peças musicais, em sintonia com os locais em que se apresentam.

Nesta sua terceira edição, e prosseguindo uma aposta determinada na música nacional, o ciclo Encontros Sonoros Atlânticos Francisco de Lacerda deu carta branca ao compositor Igor C. Silva, que apresenta uma nova instalação/performance multimédia, e encomendou transcrições de obras de Francisco de Lacerda ao pianista, compositor e orquestrador Filipe Raposo e ao compositor Sérgio Azevedo. A 16 de Setembro, os Encontros Sonoros Atlânticos Francisco de Lacerda 2023 têm início nos Claustros do Mosteiro dos Jerónimos com um concerto feito à medida: uma primeira parte de música portuguesa para quarteto de cordas, e que termina com uma genealogia da canção portuguesa, combinando Francisco de Lacerda com arranjos de Fausto, Janita Salomé e Amélia Muge, interpretados pelo Quarteto Lisboa e pela soprano Bárbara Barradas.

A Fajã da Fragueira, em São Jorge, acolhe o já habitual concerto insular inaugural nas ruínas da casa de Francisco de Lacerda, no dia 19 de Setembro, pelo guitarrista Mário Delgado. Este ano, o concerto é precedido pela estreia mundial do documentário “Francisco de Lacerda Ou a Fragueira ou Paris”, no dia 18, no Museu Francisco de Lacerda, na Calheta.

Viajando em seguida para a Terceira, a 20 de Setembro há uma nova exibição do documentário de Luís Porto, no Pequeno Auditório do Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo e, no dia seguinte, 21, os Encontros Sonoros Atlânticos Francisco de Lacerda 2023 apresentam um concerto para voz e piano, por Filipe Raposo e Rita Maria, no Teatro Angrense.

Na ilha de São Miguel exibe-se, a 22 de Setembro, no Conservatório de Ponta Delgada, o documentário “Francisco de Lacerda Ou a Fragueira ou Paris”. No dia 23, os Encontros Sonoros Atlânticos apresentam o primeiro concerto na ilha, em Ponta Delgada, na Escola Domingos Rebelo, pela Filarmónica Nª Sr.ª das Neves e a soprano Beatriz Vasconcelos e, no dia seguinte, no Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, estreia a instalação/performance multimédia que resulta de uma carta branca ao compositor Igor C. Silva.

A edição de 2023 do ciclo Encontro Sonoros Atlânticos termina em Lisboa, a 30 de Setembro, com um concerto pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, no qual se estreia a obra vencedora do Prémio Compositor Francisco de Lacerda Fundação Millennium bcp, na Biblioteca Nacional.

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.