OPINIÃO

OPINIÃO | 1984 – O grande Irmão Isaltino, por Paulo Freitas do Amaral

343views

Foi eleito pela primeira vez em 1984, tinha eu seis anos e de fato como oeirense não me lembro da festa da sua eleição…

Foi há 40 anos… Um recorde de longevidade na nossa democracia. A primeira imagem de que me lembro em Oeiras de Isaltino Morais foi em 1986 no Palácio Anjos em Algés, quando o seu discurso abriu o comício da campanha presidencial do meu primo Diogo Freitas do Amaral.

Desde então,  Isaltino ganhou todas as eleições a que concorreu…com partido ou sem partido…em Liberdade ou fechado numa cela, seja contra inimigos históricos ou delfins desertores… Os oeirenses continuaram a votar nele e os adversários a dividirem-se entre combatê-lo ou juntarem-se à sua governação como têm feito nas últimas décadas. 

Eu fui daqueles que ganhei uma freguesia a Isaltino Morais e sempre estive do lado da barricada que o combateu incansavelmente… No entanto, Oeiras é um concelho rico, que tem as maiores empresas de Portugal e por outro lado também tem os maiores bairros sociais construídos por Isaltino ao longo de décadas… Este cruzamento de gratidão das pessoas que com cartão de residência só podem votar nas autárquicas e que tiveram direito a casa saindo de uma barraca, com o fato de existirem grandes grupos económicos, também eles agradados com a autarquia Oeirense pelo trabalho desenvolvido,  faz com que Isaltino perdure contra  ventos e marés no seu lugar.

É curioso ver como PS e PSD,, vereadores e primeiros-ministros se ajoelham perante o edil…assumem pelouros, lançam projetos ao abrigo do PRR e fazem de Oeiras a casa mãe do bloco central que também governa Portugal há quase tanto tempo como Isaltino.

Como oeirense, posso dizer que tal como o Algarve se tornou o quartel general do CHEGA,  ou o Seixal se tornou o quartel general do PCP, Oeiras tornou-se o quartel general do bipartidarismo e do sistema que rege a nossa democracia… Olhemos, pois, com curiosidade para Oeiras e para o sistema bipartidário para ver quanto mais tempo mais durarão….Eu apostaria que a queda do bipartidarismo será simultânea com a queda de Isaltino…

Veremos!

Paulo Freitas do Amaral , Professor de História, 
Secretário-Geral do partido Nova Direita 

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.