LOCAL

ATUALIDADE | Restaurantes nacionais vão estar ‘À Roda do Queijo São Jorge DOP’

FOTO | Jorge Blayer Góis;
246views

À Roda do Queijo de São Jorge DOP, iniciativa nacional promovida pela Uniqueijo e pela LactAçores, desafia chefs nacionais a entrarem na “roda” com criações originais nos seus restaurantes, celebrando este produto exclusivamente nacional e único no mundo. Com início, amanhã, a 20 de janeiro, Dia Mundial do Queijo, e até dia 29 janeiro, a iniciativa reúne mais de 20 chefs e restaurantes portugueses, destacando Portugal e a excelência deste produto.

Durante 10 dias seguidos – de sexta a domingo -, chefs de Portugal continental e ilhas irão trabalhar as diferentes curas – 7, 12 e 24 meses – e apresentar nos seus menus pratos originais, assim como tábuas de queijos que apresentam o produto no seu estado original.

À Roda do Queijo de São Jorge DOP, na zona de Lisboa, encontram-se os restaurantes FOGO, OITTO, Prado, Pica-Pau, Solar dos Presuntos e Tasca da Esquina. No Porto, juntam-se os restaurantes Almeja, Apego e Oficina. No Ribatejo, a ação conta com o restaurante Ó Balcão e, no Alentejo, com a Gadanha Mercearia e o Restaurante Palma do Torre Palma Wine Hotel. Na Madeira, a ação conta com o Kampo e Já Fui Jaquet e, nos Açores, com os restaurantes Açor, Sabores Sopranos e São Jorge (São Jorge), O Petisca (Pico), Magma e Taberna Saca-Rolhas (São Miguel), Q.B. (Terceira) e Cantina da Praça (Faial).

O Queijo São Jorge DOP, reconhecido a nível nacional e internacional, é produzido em exclusivo na ilha de São Jorge há mais de 500 anos, desde a sua descoberta em meados do século XV. Produzido na Uniqueijo – União de Cooperativas Agrícolas de Lacticínios de S. Jorge, UCRL – e comercializado pela LactAçores, é feito a partir de leite de vaca cru, coalho e sal, apresentando um aroma forte e sabor ligeiramente picante. Tem um teor de gordura de 36%, e as curas variam entre 3 e 36 meses. As características distintas do queijo São Jorge DOP resultam das condições edafoclimáticas únicas desta ilha, que originam pastagens de culturas variadas, resultando num queijo de qualidade superior.

A preservação e promoção da elevada qualidade do Queijo São Jorge DOP é assegurada pela Confraria do Queijo São Jorge, que conta com mais de 30 anos de história. Esta associação científica e cultural visa preservar, dignificar e promover a autenticidade e qualidade deste queijo, um dos mais emblemáticos do país, certificado com Denominação de Origem Protegida (DOP). A Confraria é responsável pela certificação dos queijos produzidos por todos os produtores da Região Demarcada, através de um painel de provadores devidamente qualificado, treinado e monitorizado, para garantir o rigor e qualidade do produto DOP.

“De geração em geração tem havido uma dedicação e cuidado crescente em preservar e promover a genuinidade e excelência do Queijo São Jorge DOP, um produto único no mundo, criado com a melhor matéria-prima que só a natureza da Ilha de São Jorge pode oferecer, e que é um excelente representante da qualidade nacional”, refere António Aguiar, presidente da Uniqueijo.

“Esta iniciativa procura divulgar e consolidar o valor deste produto de excelência, reconhecido internacionalmente, em parceria com o trabalho essencial dos chefs e equipas que trabalham o Queijo São Jorge DOP, e com o consumidor final, que poderá provar diferentes curas e pratos criados especialmente para esta ação”, acrescenta Pedro Tavares, presidente da LactAçores. “Realçamos o empenho da nossa equipa e produtores, que têm vindo a desenvolver propostas inovadoras e de qualidade superior, com o objetivo de elevar e posicionar o Queijo de São Jorge em Portugal e além-fronteiras.”, conclui.

CA/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o editor da Rádio Ilhéu.