SÃO JORGE

AÇORES | PCP denuncia a política sufocante do Governo Regional em São Jorge 

529views

No dia 15 de fevereiro, uma delegação do PCP Açores composta pelo coordenador regional Marco  Varela, pelo eleito municipal das Velas e por dirigentes locais, reuniu com a Unidade de Saúde da  Ilha de São Jorge, para aprofundar o conhecimento da realidade, dos problemas e das expectativas  daquela estrutura. A referida reunião também teve o objetivo de apresentar as propostas que o PCP  tem para a saúde, na certeza de que as mesmas vão ao encontro das necessidades e preocupações  da Unidade de Saúde.  

Foi assim possível verificar, mais uma vez, o esforço e o empenho dos profissionais de saúde que,  para continuarem a prestar cuidados aos utentes da USISJ, tiveram de se adaptar a diversas  circunstâncias: os serviços do Centro de Saúde das Velas foram deslocados para o edifício da  Escola Básica e Secundária e vários outros serviços de saúde para as freguesias de Rosais, Santo  Amaro, Urzelina e Norte Grande. A capacidade de internamentos que existia nos dois centros de  saúde diminuiu em mais de metade, com apenas o Centro de Saúde da Calheta a disponibilizar  camas. A falta de capacidade dos próprios lares para receber utentes, com listas de espera  bastantes grandes, acrescentam ainda mais dificuldades à própria Unidade de Saúde. 

Este esforço e esta dedicação não são, infelizmente, acompanhados por parte do Governo Regional  PSD, CDS-PP e PPM (com o apoio parlamentar da extrema-direita), que, no essencial, continua a  optar por não tomar medidas concretas para a fixação de médicos e enfermeiros nas ilhas sem  hospital, sendo reflexo disso mesmo, a falta de investimento nos meios e equipamentos de apoio aos  profissionais de saúde, nomeadamente no que diz respeito às obras de intervenção no Centro de  Saúde das Velas. A solução encontrada não é a melhor nem resolve os problemas da USISJ,  continuando o PCP a vincar que a solução passaria pela construção de um novo edifício noutra  localização, podendo o atual ser reaproveitado para cuidados continuados e paliativos. 

Este governo não entendeu ainda que o Serviço Regional da Saúde não é uma despesa, mais sim  um investimento essencial para os jorgenses e para todos os açorianos. O PCP defende o reforço do  Serviço Regional de Saúde, no reforço de medidas para a fixação de médicos de família, na  deslocação de médicos de especialidade às ilhas sem hospital, e uma aposta em obras de  requalificação de edifícios e na construção de novos centros de saúde. Ou seja, o PCP bate-se com  persistência para que seja garantido o acesso à saúde a todos os açorianos.

Também foi realizada uma ação de sensibilização à porta da Indústria Conserveira de Santa  Catarina, com distribuição de documentos aos trabalhadores desta unidade fabril. No decorrer desta  ação foi possível constatar as dificuldades cada vez maiores dos trabalhadores em fazer face ao  aumento brutal do custo de vida e a necessidade de aumentar salários. 

Continuam a agravar-se as condições de vida dos açorianos, com cerca de um quarto da população  a viver abaixo do limiar da pobreza. O Governo Regional, mais preocupado com a sua própria  sobrevivência e em satisfazer os caprichos da maioria que o sustenta, faz pouco ou nada com os  instrumentos autonómicos que tem ao seu dispor, faltando aos jorgenses e a todos os açorianos ao  não tomar as opções necessárias para o reforço dos salários e para controlo da especulação  inflacionista. Esta crise não é para todos, na medida em que os que produzem mais riqueza apertam  o cinto enquanto uma minoria continua a encher os bolsos, assistindo-se assim ao aumento dos  lucros por parte dos grandes grupos económicos e financeiros nos Açores e no resto do País.  

Por isso, o PCP defende que existe uma alternativa a esta política que sufoca o desenvolvimento  regional e o seu crescimento. As propostas que o PCP apresenta para responder aos problemas da  Região e dos açorianos, ao serem implementadas, também dariam um forte contributo para o  desenvolvimento da ilha de São Jorge, dado que, visam a valorização dos serviços públicos  acessíveis para todos, a concretização do direito à saúde e à habitação, o aumento dos salários, o  combate à precariedade e a políticas de fixação de população. 

PCP/AÇORES/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.