REGIONAL

AÇORES | Nuno Barata aponta “falhas graves” na saúde das ilhas sem hospital

261views

O Deputado da Iniciativa Liberal no Parlamento dos Açores, Nuno Barata, anunciou, esta sexta-feira, no final de uma visita de quatro dias à ilha das Flores, que “vai avançar com o agendamento de uma sessão de perguntas ao Governo Regional” sobre o desenvolvimento social e económico da ilha mais ocidental do arquipélago, onde encontrou fragilidades nas áreas da saúde, educação, desenvolvimento económico e demografia, entre outras.

“Esta visita às Flores tornou-se bastante elucidativa para o nosso trabalho futuro. Vamos agendar uma sessão de perguntas ao Governo Regional sobre todos os problemas que aqui encontramos, sendo, porém, como sucede também por todas as ilhas por onde passamos, que a questão da saúde é aquela em que as pessoas mais sentem a necessidade de existir maior investimento e maior cuidado por parte do Governo Regional em relação, principalmente, a estas ilhas sem hospital, se bem que nas ilhas com hospital continuam também a suceder casos graves”, disse.

Nuno Barata alertou assim para dificuldades sentidas pela população da Região no acesso a serviços de saúde, “algo que se agrava nas ilhas mais pequenas e sem hospital”. 

Após reunir com o Presidente do Conselho de Administração da Unidade de Saúde da Ilha, o Deputado liberal apontou para “a agravante” do caso das Flores, que está “mais longe das ilhas com hospital” e enfrenta dificuldades de “acessibilidades”, pelas particulares condições meteorológicas que se fazem sentir, sobretudo, no inverno.

“O Sr. Secretário da Saúde gosta muito de esgrimir números das listas de espera em cirurgia que diminuíram de 13 mil para 11 mil. Mas, isso de cortar amígdalas é uma coisa fácil de resolver. Mandam-se vir uns cirurgiões do Continente, durante um fim de semana, e reduz-se as listas de espera”, disse Nuno Barata, apontando que nas ilhas mais pequenas existem problemas “graves” por resolver, nomeadamente ao nível de serviços como fisioterapia.

“Uma pessoa que sofra um Acidente Vascular Cerebral (AVC) numa ilha como as Flores não tem acesso a fisioterapia em condições para que se possa reabilitar. Não há condições para mandar estas pessoas para fisioterapia, por exemplo, para Alcoitão ou para outro centro de fisioterapia no Continente. Nas Flores, o caso é mais paradigmático: tinham dois fisioterapeutas e meteu-se um deles no conselho de administração. Parece fantástico”, ironizou.

Para o dirigente e parlamentar da IL/Açores “a fisioterapia é uma área para a qual é preciso olhar com muito cuidado”, até pelos “elevados casos de AVC que ocorrem nos Açores. Temos de trabalhar a prevenção, mas, paralelamente, ir investindo no tratamento das doenças. Isto não está a ser feito corretamente. E o AVC é uma das patologias mais incapacitantes nos Açores”, advertiu.

No entender dos liberais açorianos, “a Região tinha condições de já ter implementado um serviço de fisioterapia capaz de acudir a todas essas necessidades ou protocolar evacuações a tempo e a horas, para qualquer parte do mundo onde seja possível dar condições a quem delas precisa”.

Nesta deslocação à ilha mais ocidental da Região, Nuno Barata reuniu com todas as juntas de freguesia e com as duas câmaras municipais, associações de agricultores e pescadores, Escola Básica e Secundária, Unidade de Saúde de Ilha, Instituições Particulares de Solidariedade Social, visitou as obras de recuperação do porto comercial das Lajes das Flores e as instalações do Tribunal e da Conservatória de Santa Cruz, onde foi recebido pelo Juiz Presidente da Comarca dos Açores. 

IL/AÇORES/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o editor da Rádio Ilhéu.