ÚLTIMAS

AÇORES | Ano de 2022 teve maior aumento de exportações de vinhos, avança António Ventura

© Governo dos Açores
403views

O Secretário Regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, António Ventura, anunciou ontem que o ano de 2022 registou o “maior aumento dos últimos anos na exportação de vinho” dos Açores, com base nos Documentos de Acompanhamento e Certificados de Origem já emitidos.

“Em 2013, as exportações situavam-se nos 900 litros, enquanto em 2022 registou-se uma exportação de 61.902,75 litros”, destacou o governante, confirmando que os mercados “têm aceitado, cada vez melhor, os vinhos açorianos”.

Segundo explicou o Secretário Regional, o número de agentes económicos inscritos na CVR Açores (Comissão Vitivinícola Regional dos Açores) “bateu um novo recorde em 2022”, principalmente no Pico e na Terceira, passando para os “32 agentes económicos inscritos”.

O número de marcas e referências comerciais “subiu significativamente” em 2022, atingindo o “maior registo de sempre”, frisou o titular da pasta da Agricultura, adiantando que já existem mais de 60 marcas e 100 referências comerciais.

Neste aspeto, o vinho branco é aquele que tem associado um maior número de referências comerciais – cerca de 70% em 2022.

António Ventura destacou ainda o “considerável empenho” dos vitivinicultores e das suas cooperativas e adegas no desenvolvimento deste setor.

Para o responsável, o Plano Estratégico da Vitivinicultura na Região Autónoma dos Açores para os próximos dez anos e a constituição do IVVAçores (Instituto da Vinha e do Vinho) “fazem acreditar num bom futuro para o progresso da produção de vinhos nos Açores”.

Atualmente, a Região conta com cerca de 1.070 hectares de vinha homologada, distribuídos pelas ilhas Graciosa, Pico, Terceira, Faial, Santa Maria, São Jorge e São Miguel.

GRA/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.