REGIONAL

TERCEIRA | “Raças autóctones dos Açores são um património genético, único no mundo”, defende António Ventura

© Governo dos Açores | Foto: AIC
122views

O Secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural defendeu hoje, em Angra do Heroísmo, que as raças autóctones dos Açores são um “património genético, único no mundo”, que representam um “grande orgulho para a Região Autónoma dos Açores”.

António Ventura falava durante o “Encontro de Raças Autóctones dos Açores”, que teve lugar no TERINOV – Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira, onde considerou essas raças como “um património e identidade genética que tem várias vantagens, designadamente, didática, patrimonial, produtiva e social”.

“Interessa que tenhamos toda a atenção política sobre essas raças e é nesse sentido que o próximo período comunitário de apoios, o PEPAC (Planos Estratégicos da Política Agrícola Comum), terá um apoio específico para as raças animais autóctones nos Açores”, adiantou o governante.

“Estamos a constituir este apoio para que os produtores se sintam motivados e incentivados e para que essas raças de mantenham e existam para as próximas gerações”, acrescentou.

As raças autóctones dos Açores representam um património genético valioso e apresentam um grande potencial de valorização económica e conservação de usos e costumes, uma vez que fazem parte do património histórico e cultural da Região, representando-se como produtos tradicionais de qualidade.

São raças autóctones dos Açores o cão Fila de São Miguel, o cão Barbado da Terceira, o burro anão da Graciosa, o pónei da Terceira, o gado Ramo Grande e o gado Catrina.

GRA/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o editor da Rádio Ilhéu.