ÚLTIMAS

SÃO MIGUEL | “Cidade de Ponta Delgada respeita a igualdade e a interculturalidade”

424views

A Vereadora do Desenvolvimento Social da Câmara Municipal, Cristina Canto Tavares, afirmou esta sexta-feira que “Ponta Delgada é uma cidade que respeita a igualdade e a interculturalidade, o que muito nos enriquece”.

Falando em representação do Presidente do Município, Pedro Nascimento Cabral, na sessão de abertura da 12ª edição do Festival “O Mundo Aqui”, iniciativa da Associação dos Imigrantes nos Açores (AIPA), a autarca adiantou que “Ponta Delgada é uma cidade aberta ao mundo. Uma cidade cosmopolita. Uma cidade que prima não apenas pela igualdade como também pela fraternidade e que se constitui, por isso, num oásis relativamente à integração”. Sobre o festival propriamente dito, referiu que o facto de este se realizar em Ponta Delgada durante 12 anos consecutivos “prova que o mesmo já faz parte da agenda anual dos eventos culturais e sociais do nosso concelho, o que muito nos orgulha”.

“O Mundo Aqui” tem, como habitualmente, a parceria da autarquia e o grande objetivo do festival é celebrar a diversidade cultural. Para Cristina Canto Tavares, “sentimos orgulho na realização deste festival que une várias identidades e várias culturas. Estamos sempre disponíveis para receber quem escolheu aqui desenvolver o seu modo de vida”.

Em nome da autarquia, aproveitou para homenagear o trabalho meritório de apoio aos imigrantes que a AIPA tem desenvolvido ao longo de mais de uma década. Uma homenagem que estendeu à presidente da Direção da associação, Maria Cristina Borges, pelo seu dinamismo e determinação. “A AIPA faz-nos lembrar que o mundo é efetivamente feito de todas as cores e esta iniciativa – “O Mundo Aqui” – é uma ideia de excelência, que está bem concebida e bem organizada” – concluiu.

CMPD/GC/LD/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.