SÃO JORGE

SÃO JORGE | Depressão Hipólito deixou rasto caro: Danos estruturais no porto do Topo

863views

A depressão Hipólito, que afetou os Açores nos últimos dias, provocou danos estruturais que aparentam ser significativos no porto do Topo, ilha de São Jorge. DI sabe que o consórcio que construiu a infraestrutura já foi contatado para avaliar os danos.

Segundo fontes contatadas pelo DI em São Jorge, a situação é de tal modo grave que estarão em causa obras de vários milhões de euros. O porto do Topo não resistiu à violência das ondas, até porque já apresentava problemas de origem que DI desconhece – fissuras e “buracos” – e que deveriam ter sido resolvidos pelo consórcio construtor antes da tempestade.

Porém, segundo DI apurou, os equipamentos necessários terão ficado retidos em São Miguel, impedindo que as obras de consolidação ocorressem antes de a depressão Hipólito se precipitar sobre os Açores. Uma fonte do Governo Regional disse ao DI que além de apurar a dimensão dos estragos e os custos da reparação, é necessário perceber as razões que levaram a infraestrutura a ceder.

De igual modo, disse a mesma fonte, é importante perceber as causas dos problemas que o porto já apresentava. O porto do Topo foi inaugurado em 2020, estando vocacionado para servir as pescas e o turismo em São Jorge. As obras custaram cerca de sete milhões de euros.

As condições do porto, porém, sempre foram contestadas localmente, levantando grandes dúvidas a fraca proteção contra as ondas, que na zona podem ser muito fortes. A operacionalidade do porto é limitada, uma vez que ainda não foram realizados os trabalhos de aplanamento dos fundos, o que obrigará à utilização de explosivos, segundo DI soube.

DIÁRIOINSULAR/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.