AGENDA

FAIAL | Palestra “António da Silveira Peixoto” na Biblioteca Pública da Horta.

| Fotos: DRaC
450views

A Secretaria Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital, por via da Direção Regional da Cultura (DRC), através da Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça (BPARJJG), promove esta terça-feira, pelas 18h00, a realização da palestra “António da Silveira Peixoto: um português da ilha do Faial que mudou o mapa dos sertões do Sul do Brasil (séc. XVIII)”, a ser proferida por Denise Moura no auditório da Biblioteca Pública da Horta.

Professora e doutorada em História do Brasil na Universidade Estadual Paulista, Denise Moura integra o corpo docente do Programa de Pós-Graduação da mesma instituição desde 2004. Em 2008, realizou estágio de pós-doutoramento no então Centro de História de Além-Mar (CHAM), vinculado à Universidade Nova de Lisboa e, em 2013, na Johns Hopkins University.

Nos últimos anos, têm desenvolvido pesquisas sobre história da cartografia e publicado artigos em revistas académicas do Brasil, Colômbia, Inglaterra e Estados Unidos. É membro da International Society for the History of the Map (ISHMAP), coorganizadora da primeira versão online do encontro desta, em 2020.

Concluiu um livro sobre o mapeamento do Brasil Meridional no século XVIII, e trabalha na edição de um livro sobre o faialense António da Silveira Peixoto e sua contribuição para o mapeamento do rio Iguaçu. 

Atualmente também desenvolve o projeto “Ciência Colaborativa: jesuítas, índios e sertanistas na cartografia das fronteiras dos Impérios ibéricos na América do Sul” (século XVIII).

A Direção Regional da Cultura informa que estes e outros eventos estão disponíveis para consulta na Agenda Cultural do Portal Cultura Açores, no seguinte endereço eletrónico: www.culturacores.azores.gov.pt.

GA/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.