ÚLTIMAS

ATUALIDADE | Ilustrações de Bianca Mendes marcam a Noite dos Labregos na ilha do Pico

478views

Foi na noite de 1 de fevereiro – eles chegaram e invadiram a galeria do Atlântico Teahouse na ilha montanha. Diabretes, Labregos, Carianos, Cramilhões e Fariseus, criaturas fantásticas do imaginário popular açoriano, que aos poucos estão voltando ao nosso convívio, depois de décadas adormecidos na mente dos anciãos das nossas ilhas.

A exposição de ilustração de Bianca Mendes faz parte de um projeto com o objetivo manter viva a memória dos antepassados desta terra e pretende culminar, num futuro próximo, com a publicação de livros, criação de espetáculos e com a realização de curtas metragens de animação. 

“Tendo iniciado com a criação de esculturas com a temática dos diabretes, passei a promover também workshops de modelagem em biscuit para crianças, sempre dentro desse mesmo universo. Mais recentemente aceitei o desafio de aventurar-me pelas ilustrações, sendo que a primeira exposição foi durante o AnimaPIX, em dezembro de 2022, venho agora apresentar ilustrações inéditas, que irão servir de mote a outros trabalhos, como livros infantis e curtas-metragens de animação, por exemplo. Penso que para além de manter vivo esta parte do património imaterial açoriano, acredito que é importante tomar essas criaturas pela mão para nos ajudar a lidar com nossos próprios medos, especialmente, com o medo de termos as tradições esquecidas”, nota Bianca Mendes, a artista responsável pelo trabalho. 

Bianca Mendes nasceu no Brasil e vive na Terceira. Tem vindo a construir um trabalho em torno das criaturas fantásticas dos Açores, nomeadamente Diabretes, Lambusões, Bruxas e Encantadas. A exposição de ilustração de Bianca Mendes fica patente até maio. Visitem a Atlântico Teahouse na vila da Madalena do Pico. 

MIRATECARTS/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.