REGIONAL

AÇORES | Sofia Ribeiro compromete-se em recuperar os três anos de transição entre carreiras dos docentes

| Fotos: MM
1.8kviews

A Secretária Regional da Educação, Sofia Ribeiro, garantiu hoje que vai recuperar os três anos de transição entre as carreiras dos docentes, “pondo fim a situações de desigualdade, uma vez que se verifica que há docentes dos quadros que têm acesso a carreiras de duração diferenciada, com prejuízo dos próprios”.

A garantia foi dada no final da primeira ronda de reuniões com os partidos políticos com assento na Assembleia Regional e com o deputado independente, para estabelecer a Estratégia da Educação para a Década, que, segundo a Secretária, pretende conferir “às políticas educativas a sustentação e a consolidação necessárias para garantir estabilidade e orientação”.

Sofia Ribeiro garantiu que estas reuniões “não esgotam o papel da concertação social e da Assembleia Legislativa Regional”.

“O Governo Regional é o primeiro proponente das propostas legislativas e normativas e, por esse motivo, faz todo o sentido que nós tenhamos a compreensão do posicionamento das diversas forças políticas para que seja possível ter uma estratégia consolidada a longo prazo”, disse.

Durante as reuniões, a titular da pasta da Educação entregou um documento enquadrador da Estratégia para a Década: “ficou combinado com os partidos políticos que nos fariam chegar as suas propostas e que, depois de analisadas, seriam enquadradas neste documento”, explicou. 

A nova ronda de reuniões com os grupos e representações parlamentares e com o deputado independente ficou agendada para 14 e 15 de fevereiro.

De acordo com Sofia Ribeiro, os indicadores de desenvolvimento registados na Região “evidenciam a necessidade de definir uma estratégia prolongada no tempo, como é próprio de uma política estrutural, que se consubstancie em princípios fundamentalmente canalizados para a promoção do sucesso de todos e de cada um dos alunos da Região”.

A Secretária Regional recordou que, nos Açores, 17,8% dos jovens não trabalham, nem se encontram em nenhum contexto de educação ou formação, sinal de que, na opinião da governante, os jovens têm “habilitações desfasadas das necessidades do mercado de trabalho”.

“A discrepância entre as competências de que os jovens dispõem e as competências que lhes estão a ser exigidas tem de ser largamente diminuída”, frisou.

Para isso, a Secretária Regional diz ser urgente “rever as competências da educação básica, para garantir a adequabilidade das qualificações dos Açorianos”.

“Devemos preparar os jovens que nasçam hoje para postos de trabalho que não conhecemos, e este, só por si, é um desafio maior”, referiu.

No documento entregue, Sofia Ribeiro referiu ainda a necessidade “celebrar a autonomia” das escolas, “reformar a profissionalidade docente e cativar para o ensino os jovens mais promissores das novas gerações” e ainda “conferir maior dignidade” aos assistentes e técnicos, garantindo-lhes “adequação de funções”.

Consta ainda no documento a necessidade de ter “encarregados de educação mais informados e interventivos no processo educativo regional” e a necessidade de garantir “condições de segurança” das infraestruturas escolares. 

GA/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o editor da Rádio Ilhéu.