ÚLTIMAS

AÇORES | Novas políticas de Juventude promovem “objetividade e respondem a novos desafios”

©Hugo Moreira
546views

O deputado do PSD/Açores Flávio Soares afirmou hoje que as novas políticas de Juventude “promovem a objetividade e respondem a novos desafios decorrentes do contexto atual”.

O parlamentar social-democrata manifesta-se satisfeito com o arranque do novo regime que “agora vai ao encontro de novas realidades, transversal a diversas áreas, desde a participação cívica ao empreendedorismo, voluntariado e formação, a igualdade de oportunidades e a empregabilidade”.

Flávio Soares apontou ainda outras vantagens das políticas para a Juventude “como o associativismo, a mobilidade, a transição digital, correspondendo a uma estratégia concertada com os conselhos municipais de Juventude e Conselho de Juventude dos Açores que procederão ao respetivo acompanhamento”.

É aliás, neste aspeto, destaca, que “o Governo Regional tem vindo a pautar a sua atuação assente na auscultação das entidades, num amplo processo de participação dos agentes envolvidos no debate pela promoção de melhores condições de vida dos jovens”.

Para o deputado do PSD/Açores, trata-se de um diploma “que revela uma dinâmica que se impõe nos tempos que correm, permitindo o elenco de novas medidas sempre se mostrarem importantes no encontro de soluções prementes perante os problemas que possam eventualmente surgir”.

O parlamentar social-democrata lembrou ainda que “estas alterações surgem 15 anos depois da implementação do decreto-legislativo pela governação socialista, que há muito carecia de uma adequação à realidade atual”.

Flávio Soares entende também que o novo regime de políticas de Juventude “garante agora a capacitação de novas competências, atendendo a áreas prioritárias para os jovens açorianos”, concluiu.

PSD/AÇORES/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o Diretor de Programação da Rádio Ilhéu, sediada na Ilha de São Jorge. É também autor da rubrica 'Cronicas da Ilha e de Um Ilhéu' que é emitida em rádios locais, regionais e da diáspora desde 2015.