REGIONAL

AÇORES | IL quer justificações: SATA gastou 2,7 milhões de euros em 2021 em consultorias e aconselhamento jurídico

141views

O Deputado da Iniciativa Liberal no Parlamento dos Açores, Nuno Barata, solicitou, esta segunda-feira, informações detalhadas sobre os gastos que o Grupo SATA teve, em 2021, com serviços de consultoria, aconselhamento jurídico e despesas com outros honorários, que totalizaram mais de 2,7 milhões de euros.

O pedido de novos esclarecimentos por parte do Deputado liberal prende-se com dados de uma resposta que, na semana passada, o Governo Regional concedeu relativamente a um outro requerimento apresentado por Nuno Barata onde se solicitava informação detalhada sobre trabalhadores, acordos, indemnizações, aquisição de bens e serviços (incluindo ACMI’s e voos charter), a operação do avião cargueiro e os devedores às empresas do Grupo SATA.

“Considerando a resposta dada pelo Governo Regional ao Requerimento – Custo e dívidas das empresas do Grupo SATA – da Representação Parlamentar da Iniciativa Liberal, importam solicitar novos esclarecimentos, no âmbito dos gastos com serviços de consultoria e assessoria jurídica e relativos à informação referente ao 1º semestre de 2022”, frisa o parlamentar da IL. Assim, Nuno Barata acaba de solicitar “discriminação justificada de todos os serviços solicitados/contratados a consultores, serviços de IT e consultores jurídicos, nos anos 2020, 2021 e no primeiro semestre de 2022, por empresa do Grupo SATA (SATA Air Açores, Azores Airlines e SATA Aeródromos); Discriminação justificada de todos os custos pagos em ‘outros honorários’, nos anos 2020, 2021 e no primeiro semestre de 2022, por empresa do Grupo SATA; Discriminação dos serviços prestados e por que empresas; Que pareceres jurídicos foram pedidos e a que escritórios de advogados; Justificação para a admissão de uma técnica (jurista) para o compliance; Discriminação da remuneração com todas as componentes IHT, alimentação, alojamento e afeta a que empresa e local de trabalho da técnica referida”.

Entretanto, considerando que já são conhecidas as contas do Grupo SATA relativas ao primeiro semestre do ano em curso, Nuno Barata solicita a atualização dos dados requeridos anteriormente correspondentes aos primeiros seis meses deste ano, nomeadamente:

“Relativamente ao primeiro semestre de 2022, solicita-se informação sobre o atual número de trabalhadores no ativo e média salarial, discriminada por empresa; informação quanto ao número de acordos de pré-reforma subscritos nas empresas do Grupo SATA, categoria e montante global das prestações acordadas, discriminado por empresa; informação quanto ao número de admissões e contratações para as empresas do Grupo SATA, suas funções, categorias e local de trabalho, discriminado por empresa e respetivas autorizações da tutela; informação quanto à evolução da despesa com pessoal, incluindo indemnizações de rescisões contratuais e acordos por pré-reforma e, bem assim, número de reposicionamentos remuneratórios e respetivas autorizações da tutela; informação quanto à evolução da despesa com aquisições de serviços de consultoria (coaching, serviços informáticos, médicos, jurídicos e outros) discriminado por áreas de atuação e local de sede do prestador de serviço e por empresa; informação quanto à evolução da despesa com aquisições de serviços ACMI (Aircraft, Crew Maintenance and Insurance) de aeronaves quanto ao reforço de ligações aéreas, discriminado por empresas; informação quanto ao número de contratações de Charter e taxa de efetiva concretização e respetiva receita discriminada por destino e empresa; informação quanto ao valor das indemnizações liquidadas, por cancelamentos ou atrasos dos voos, discriminado por empresas e lista dos atuais 25 maiores devedores do Grupo SATA, discriminado por empresa, natureza da dívida e maturidade.

IL/AÇORES/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o editor da Rádio Ilhéu.