REGIONAL

REGIÃO – JS/AÇORES quer explicações do Governo sobre o futuro dos jovens trabalhadores

30views

A JS/Açores quer que o novo executivo explique as “versões contraditórias” sobre a situação dos jovens trabalhadores abrangidos por programas de estágio nas empresas que vão ser extintas: “Estamos preocupados com as contradições que existem, já que há membros do Governo que anunciam a prorrogação de estágios enquanto outros não dão garantias de continuidade a estes jovens trabalhadores”, adiantou Vílson Ponte Gomes.

O Presidente da JS/Açores e Deputado Regional destaca a “incerteza” que provocaram as declarações do Secretário Regional do Ambiente e Alterações Climáticas que, no plenário de dezembro garantiu que “nenhum trabalhador ficaria para trás” no caso das empresas públicas que vão ser extintas, mas que após reunião na Azorina, afirmou que a situação dos trabalhadores de programas ocupacionais e estágio “será analisada caso a caso e avaliadas as necessidades”, o que “é uma mão cheia de nada, acentuando brutalmente as incertezas que estes tempos trazem aos jovens.

Para Vílson Ponte Gomes, este é mais um exemplo de que “este Governo diz uma coisa e faz o seu contrário. É mais um exemplo claro da política que se começa a caracterizar com a governação da coligação de direita nos Açores: marginalizar e desrespeitar os trabalhadores mais vulneráveis com os mais jovens a serem os mais afetados”.

Igualmente grave, alerta o líder da JS/Açores, “como dentro do próprio governo, as decisões ficam ao critério de cada secretário, haverá desigualdades entre os jovens trabalhadores açorianos”. Em causa está a decisão do Secretário Regional da Qualificação e Emprego de anunciar que programas “são prorrogados até 30 de junho de 2021”, como forma de “combater os efeitos sociais e económicos da crise provocada pela Covid-19”.

“Muitos jovens, cuja realização do seu projeto de estágio nas empresas fica interrompido, estão impedidos de se candidatar a outro projeto, tal como o próprio regulamento define. Estes jovens não podem ser prejudicados, nem profissionalmente nem financeiramente. Não foi uma opção deles, mas sim uma opção política do executivo regional. Esta é mais uma contradição da narrativa do Governo “Pessoas Primeiro”, alerta o líder.

Vílson Ponte Gomes manifesta a sua preocupação, e até indignação, pela grande insensibilidade para com os jovens açorianos e pela incerteza criada em relação ao seu futuro”. Vamos, garantiu o deputado que lidera a juventude socialista dos Açores, “fazer uso de todos os mecanismos para exigir ações rápidas e urgentes, mas também ajudar a construir soluções, já que o governo se limitou a anunciar que os jovens estagiários vão ser dispensados, continuando a não dar resposta sobre esta matéria”.

JS/AÇORES/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o editor da Rádio Ilhéu.