NACIONAIS

Portugal vai ter centro de formação específico para a Economia Social

Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, na assinatura do Acordo de Formação Profissional e Qualificação da Economia Social, Lisboa, 11 janeiro 2022 (Foto: João Bica)
88views

Portugal vai ter um centro de formação para a Economia Social. É o primeiro país da União Europeia a ter um centro deste tipo, que está enquadrado no Plano de Ação Europeu para a Economia Social, e um dos pontos do Compromisso Social do Porto, assinado em maio de 2021, no Porto.

Durante a assinatura do Acordo de Formação Profissional e Qualificação da Economia Social, esta manhã em Lisboa, a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, afirmou que este é um dia histórico mas é também um dia de enorme esperança.

«Nós temos procurado, em conjunto, responder à emergência e à urgência mas também responder e acelerar o investimento estrutural e social. Ganhámos todos uma legitimidade acrescida para investir socialmente nas fragilidades que temos e acelerar o investimento social para responder aos enorme desafios que temos como País. A economia social é a nossa área de intervenção na sociedade em que o capital são as pessoas», afirmou.

A Ministra destacou também o «papel determinante da economia social na resposta à pandemia» e os investimentos previstos no Plano de Recuperação e Resiliência e no Programa PT2030.

«A economia social emprega mais de 6% das pessoas em Portugal e representa mais de 3% do VAB da economia portuguesa. Estamos aqui a falar de uma transversalidade que é um motor determinante nesta recuperação e no que deve ser o momento de viragem do ponto de vista de mobilização social para construirmos uma nova ordem para o bem. Acredito muito na economia social, em que o valor das pessoas está em primeiro lugar» bem como os valores «da cooperação, da democracia, da solidariedade» e da «igualdade», disse ainda.

Centro de formação vai funcionar na Guarda

O Centro de Formação para a economia social irá ficar instalado na Guarda e será gerido numa parceria entre o IEFP, a Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES) e o Centro de Estudos Ibéricos da Guarda.

Este centro de competências da economia social é um dos cinco centros que hoje foram protocolados em Lisboa, no âmbito do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR), com um investimento previsto de cerca de 60 milhões de euros. Dois destes centros vão ter gestão direta do IEFP, em Lousada e Odivelas. Os outros três serão centros de formação protocolados com parceiros em áreas de competências específicas e consideradas prioritárias: economia social (Guarda), transição digital e transição verde. 

P/GOV/PT/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o editor da Rádio Ilhéu.