NACIONAIS

PORTUGAL | Governo decreta situação de alerta entre domingo e terça-feira

Ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, e Secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, em reunião na Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, Oeiras, 19 julho 2022
151views

O Ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, anunciou que o território continental vai estar em situação de alerta entre os dias 21 e 23 de agosto devido ao risco de incêndios.

«Tomámos a decisão de determinar a situação de alerta para os dias 21, 22 e 23 – domingo, segunda e terça-feira, com reavaliação na segunda-feira ao fim do dia, tendo em vista reavaliar a necessidade de manter ou alterar a situação de alerta. Toda esta circunstância se aplica ao território continental», disse o Ministro, após uma reunião na Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Carnaxide (Oeiras).

Durante este período haverá limitações quanto ao uso do fogo, ao uso de máquinas, nos trabalhos agrícolas e no acesso aos espaços florestais.

O Ministro destacou os fatores de risco que levaram à determinação da situação de alerta: «o pico de calor que se vai fazer sentir nos próximos dias, a partir de domingo, que poderá alcançar temperaturas na ordem ou superiores a 40º; os ventos que poderão variar entre os 40 e os 60 km/hora; a manutenção de seca severa e extrema em grande parte do território nacional; e os incêndios, causados pelo uso do fogo e por razões acidentais».

Reforço do patrulhamento dissuasor e contratação de 500 bombeiros

Outra das medidas anunciadas por José Luís Carneiro é o reforço do patrulhamento dissuasor por parte de 25 patrulhas das Forças Armadas, que reforçarão os meios já no terreno em todo o País. «Combater o incendiarismo é uma prioridade tendo em consideração que se acentuou, particularmente, nas últimas três semanas», salientou.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) foi ainda autorizada a reforçar o combate aos incêndios com a contratação de mais 500 bombeiros.

«A ANEPC fica com autorização para avançar com a contratação de mais 100 equipas de bombeiros, o que significa mais 500 homens, tendo em vista reforçar os meios humanos e permitir que esta reposição de meios mantenha o vigor e a eficácia que tem existido até agora», disse José Luís Carneiro, sublinhando que 90% dos incêndios têm sido debelados em 90 minutos.

O Ministro realçou também a antecipação de pagamentos às corporações de bombeiros, num montante que ascende a mais de um milhão de euros. «Decidimos antecipar os pagamentos às corporações de bombeiros que têm tido o esforço de integração no Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR)».

«Esse esforço de antecipação vai ser realizado por parte da ANEPC, tendo em vista garantir que as associações humanitárias que têm corporações de bombeiros integradas no DECIR mantêm condições de decisão e operacionalidade que são indispensáveis para esta fase que se inicia após este período que tivemos desde o início de julho até hoje», disse.

P/GOV/PT/RÁDIOILHÉU

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o editor da Rádio Ilhéu.