REGIONAL

Não temos de recear o futuro das pescas nos Açores, afirma Gui Menezes

204views

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou hoje, na Graciosa, que o investimento na formação e profissionalização dos armadores e pescadores é a “prova inequívoca” da importância que o Governo dos Açores atribui às pescas.

O Secretário Regional falava na entrega de diplomas do Curso de Operador de Rádio em GMDSS – Sistema Marítimo de Socorro e Segurança Marítima Global a uma dezena de marítimos graciosenses, cerimónia presidida pelo Presidente do Governo, Vasco Cordeiro.

O Governo Regional, através do curso em GMDSS, pretende capacitar os pescadores açorianos para trabalhar com um sistema para as comunicações marítimas de socorro, urgência e segurança, nomeadamente comunicações navio-terra, através de serviços de rádio terrestre e por satélite, que “pode fazer a diferença nas situações mais críticas”.

Desde que foi implementado nos Açores, em 2019, em parceria com a Federação das Pescas dos Açores, no âmbito de um protocolo estabelecido com o Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar, o FOR-MAR, este curso já formou 140 marítimos.

Durante a sua intervenção, Gui Menezes afirmou que o Governo Regional “trabalha para dar resposta às necessidades dos armadores e pescadores” açorianos, acrescentando que “reconhece o trabalho e o contributo” destes profissionais para “o desenvolvimento da economia das nossas ilhas”.

O Secretário Regional referiu, neste sentido, o investimento realizado pelo Governo dos Açores em infraestruturas e equipamentos de apoio à pesca, que representou na ilha Graciosa, em 2019, mais de 200 mil euros.

Gui Menezes destacou a reparação “em tempo recorde” das casas de aprestos da Folga, que tinham sido danificadas aquando da passagem do furacão Lorenzo, e a “rápida resposta” na reconstrução do muro no acesso ao porto de pescas.

A montagem de uma estrutura coberta para o núcleo de pescas da Praia, que foi “uma necessidade identificada pelos pescadores graciosenses para apoio a pequenas reparações nas embarcações” foi outro dos investimentos referidos.

O governante defendeu que “para garantir o futuro das pescas como atividade económica relevante, o caminho terá de passar por um bom ponto de equilíbrio entre a sustentabilidade dos recursos e o aumento do rendimento gerado por esta atividade”.

“Se os resultados nos dizem que os pescadores estão a conseguir retirar mais rendimento do seu trabalho, se temos hoje mais de 1.100 pescadores da Região com mais formação, se temos a determinação do Governo em prosseguir o investimento nesta área, não temos de recear esse futuro”, afirmou Gui Menezes.

“Continuarão a surgir desafios internos e externos aos quais teremos de dar uma resposta cabal”, acrescentou, mas frisou que a parceria entre as entidades e o setor da pesca “será sempre o caminho mais eficaz para que esses desafios sejam vencidos”.

GaCS/GM

Mauricio De Jesus
Maurício de Jesus é o editor da Rádio Ilhéu.