AÇORES – Implementada avaliação genómica de bovinos de aptidão leiteira para melhorar...

AÇORES – Implementada avaliação genómica de bovinos de aptidão leiteira para melhorar eficiência das explorações

| Fotos: GaCS/SRAF |

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje que será implementado a partir de quinta-feira nos Açores um plano de avaliação genómica de bovinos de aptidão leiteira para ajudar os produtores a melhorar a gestão produtiva e reprodutiva do seu efetivo, através do conhecimento genético de cada bovino, esperando-se que esta nova medida contribua para melhorar a eficiência das explorações de produção de leite.

“A seleção genómica deve tornar-se num instrumento complementar de gestão produtiva e reprodutiva que possa ajudar os produtores a melhorar os seus animais, aumentando a eficiência das reprodutoras e, consequentemente, reduzindo os custos de produção e melhorando os rendimentos das explorações”, referiu João Ponte, à margem da visita a uma exploração leiteira no concelho de Ponta Delgada, que foi acompanhada pelo Presidente da Federação Agrícola dos Açores.

O governante adiantou que Executivo regional vai comparticipar 50% dos custos associados a cada avaliação genómica de bovinos de aptidão leiteira com menos de 15 meses de idade, contribuindo para melhorar a genética do efetivo, aumentar a qualidade do leite produzido e a própria eficiência das explorações.

De acordo com uma portaria hoje publicada em Jornal Oficial, que regulamenta a atribuição deste apoio aos criadores de bovinos de raças de produção de leite que submetam o seu efetivo a avaliação genómica, estão contempladas majorações no caso dos criadores serem jovens agricultores ou detentores do título de reconhecimento do Estatuto da Agricultura Familiar.

Para João Ponte, face à importância do setor leiteiro nos Açores e ao elevado estatuto sanitário que a Região já detém, importa privilegiar o contínuo melhoramento genético dos bovinos, através de técnicas reprodutivas e da aplicação de metodologias de seleção que salvaguardem todo o bom trabalho feito até aqui no setor leiteiro.

“Até agora a seleção de bovinos para reprodução era feita apenas com recurso à informação genealógica e à informação fenotípica, mas a partir de agora, recorrendo aos painéis de marcadores genéticos, é possível abranger praticamente todo o genoma de um determinado bovino e ficar na posse de informação sobre todo o seu potencial produtivo”, afirmou João Ponte, acrescentando que, “em bovinos leiteiros, com a seleção genómica, o progresso genético pode ser até 50% superior comparativamente à seleção convencional, com uma evolução da consanguinidade mais controlada”.

O Secretário Regional da Agricultura salientou que este tipo de estudo possibilita mais garantias sobre o real valor do animal, uma vez que tem por base a sua avaliação genética, a qual será transmitida à descendência, permitindo, adicionalmente, às duas fontes de informação que existiam – genealógica e produtiva – incorporar também a informação genética dos animais.

“Este é mais um instrumento disponibilizado ao setor leiteiro, que visa contribuir para se proceder à melhoria da eficiência e competitividade das explorações leiteiras com recurso a novas técnicas e tecnologia”, afirmou João Ponte.

GaCS/RM/RÁDIOILHÉU